21/03/2008

Vento Seeiro

Que me arranca a alma
Fazendo os pensamentos sairem pelos poros
e as palavras golfarem rasgadas nos lábios.

Vento ingrato e raivoso
Como sede que me seca e me esgana
A soltar mudos gritos de revolta
Nas fúrias do sentimento

Ó vento seeiro da vida
Vida salgada do vento
Sentido sentimento

Vento ingrato

Vento

Vento

Luis Pardal

Artigos interessantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...