31/05/2008

Procissão São Bernardino

Fotos: Luis Pardal - Tiradas em 1997 e 2000

São Bernardino de Siena

Pregador e promotor do culto do Nome de Jesus, São Bernardino de Siena nasceu a 8 de Setembro de 1380, em Massa Marítima, uma cidade que então pertencia a Siena, na nobre família Albizzeschi, e morreu a 20 de Maio de 1444, em Áquila.

Órfão aos seis anos de idade, foi educado com grandes cuidados por umas tias muito piedosas. Depois de cursar Direito Civil e Canónico, entrou em 1397 para a Confraternidade de Nossa Senhora, agregada ao hospital de Santa Maria della Scala, e quando, passados três anos, a peste invadiu a cidade deixou a sua vida de reclusão e oração para prestar assistência aos doentes juntamente com outros dez companheiros.

A sua saúde ficou para sempre abalada por este período de grande trabalho. Aos 22 anos desfez-se de todo o seu património, dando-o aos pobres, e recebeu o hábito de Frade Menor nos Franciscanos no Convento de S. Francisco de Siena para passado pouco tempo se retirar para o Convento dos Observantes de Columbaio, nos arredores da cidade.

Professou em 1403 e foi ordenado sacerdote em 1404. Em 1406, pregando em Alexandria, no Piemonte, São Vicente de Ferrer previu que o seu manto desceria sobre uma das pessoas que o ouviam e que essa pessoa teria a tarefa de evangelizar o resto da Itália, podendo então São Vicente voltar a França e a Espanha. Esta previsão realizou-se doze anos mais tarde, em 1417, quando Bernardino recebeu a graça da eloquência e começou a sua vida de missionário em Milão, passando depois a muitas outras cidades italianas.

Pregando muitas vezes nos mercados, a sua assistência chegava a ter 30 000 pessoas e a sua influência cresceu nas muitas cidades para onde os devotos o seguiam aos milhares. O futuro Papa Pio II, que era um seu fervoroso ouvinte, dizia que São Bernardino pregava como um segundo São Paulo, enquanto que o biógrafo Vespasiano da Bisticci comentava que os seus sermões limpavam a Itália de todos os pecados. Influenciadas pelos ataques de São Bernardino aos vícios e aos pecados, muitas cidades italianas decretaram leis segundo os seus ensinamentos, as Riformazioni di frate Bernardino .

Sendo a usura uma das práticas mais atacadas pelo santo, este fundou muitas sociedades beneficentes de empréstimos, conhecidas como as Monti di Pietà . Inspirado nos ideais franciscanos, São Bernardino atravessou a pé a Itália várias vezes para levar a paz, sobretudo entre Guelfos e Gibelinos.

Em toda a parte demovia as facções desavindas em guerra e pregava-lhes a devoção pelo Santo Nome de Cristo, muitas vezes usando um quadro com as Suas iniciais escritas, I.H.S, que depois era venerado pelos devotos. Este costume do quadro foi introduzido pela primeira vez em Volterra, em 1424, e fez muito sucesso. São Bernardino aconselhou um carpinteiro de Bolonha que tinha perdido os seus bens ao jogo a construir os quadros e este fez uma pequena fortuna em pouco tempo.

A popularidade de São Bernardino granjeou-lhe, no entanto, inimigos que o perseguiram. Foi acusado de heresia pelo dominicano Manfredo de Vercelli que São Bernardino tinha anteriormente criticado pelos seus falsos sermões sobre o Anticristo. Em causa estavam os quadros com as iniciais de Cristo, considerados profanos e uma nova forma de idolatria. Obrigado a apresentar-se perante o Papa Martinho V, em 1427, este proibiu-o de pregar e de exibir os quadros até que a sua conduta fosse examinada.

São Bernardino entregou todos os seus sermões escritos a uma comissão que instruiu o julgamento que teve lugar em São Pedro de Roma, em 8 de Junho, perante o Papa. O defensor São João Capristano, seu confrade da Observância, não teve muito trabalho em demonstrar a fraqueza das acusações e o Papa não só aprovou os ensinamentos de São Bernardino, como lhe pediu para pregar em Roma e aprovou a sua eleição para Bispo de Siena. Tanto esta nomeação como as das Sés de Ferrara e Urbino foram recusadas por São Bernardino que dizia que toda a Itália era a sua diocese.

Com a nomeação de Eugénio IV, novas acusações lhe foram feitas mas uma Bula de 1432 anulou definitivamente as calúnias. A justiça feita sobre os ensinamentos de São Bernardino foi perpetuada pela concessão aos Frades Menores da festa do Triunfo do Santo Nome, em 1530, que foi posteriormente estendida à Igreja Universal em 1722.

São Bernardino acompanhou o imperador Sigismundo para a sua coroação em Roma, retirando-se depois para Capriola para se dedicar à escrita de Sermões. Teve de deixar os seus trabalhos missionários em 1438 quando foi eleito Vigário-Geral dos Observantes em toda a Itália. Embora não tivesse sido o fundador dos Observantes, São Bernardino foi o principal apoiante deste movimento de reforma da Ordem Franciscana e um dos seus mais fervorosos difusores, sendo responsável pelo grande aumento do número dos seus membros. Fundou ainda, ou reformou, cerca de 300 conventos de frades em Itália e enviou missionários a diferentes pontos do Oriente.

Foi o principal responsável pela presença no Concílio de Florença de muitos embaixadores das diferentes nações divididas pelo Cisma. Retomando a sua vocação missionária, em 1444, desloca-se para evangelizar Nápoles apesar da sua saúde debilitada. Sucumbe à febre e volta moribundo a Áquila, onde morreu na véspera de Ascensão, a 20 de Maio. Não tendo sido permitido que o seu corpo saísse de Siena, foi enterrado na igreja dos Franciscanos Conventuais (oponentes aos Observantes) depois de um funeral com grandes honras.

Os muitos milagres que se seguiram à sua morte contribuíram para a sua canonização, a 24 de Maio de 1450, por Nicolau V. O corpo de São Bernardino foi trasladado para a nova igreja dos Observantes de Áquila, especialmente construída para o efeito, que foi destruída no terramoto de 1703.

A primeira igreja que continha um templo caríssimo oferecido por Luís XI de França foi substituída por um outro edifício onde ainda hoje as relíquias de São Bernardino são veneradas. Em Portugal, a Observância Franciscana beneficiou de uma grande devoção ao santo, também sentida por D. Manuel I e D. João III que, nos retábulos encomendados para os seus conventos, mandavam inserir sempre a figura de S. Bernardo de Siena.


Artigo extraido de: São Bernardino de Siena. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2008. [Consult. 2008-06-02]. Disponível na www: .

Artigos interessantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...