28/10/2010

HOMENAGEM ÁS MÃES

Autor: Mário Neto
Ontem  quando  fui  comprar  os  crisantemos  para oferecer á minha mãe, talvez as saudades que senti, lembrou-me de homenagear as mães, todas as mães, principalmente as nossas que já partiram, mas que continuam presentes dentro de cada um de nós. Envio a homenagem ás mães (á minha mãe)
Mãe
Deus em sua magnífica inteligência usou de sua mais pura perfeição e criou um ser perfeito. Deu-lhe a dádiva da vida, para que suas criaturas pudessem existir e multiplicar o verdadeiro amor. No mundo surge a vida a partir de uma criança. No ventre de uma mãe, cresce, um sonho, uma luz, uma esperança.
Mãe foste por Deus escolhida, para nos dar a vida. E nos momentos difíceis, é no teu conforto que encontramos abrigo. Preocupas-te conosco a fim de nos proteger e muitas vezes, imaturos, não sabemos reconhecer o teu valor.
Mãe! És símbolo de honestidade, carinho, amor e protecção e amas sem preconceito. Aqueles que te desprezam, não sabem o teu valor, pois és cheia de puro e eterno amor.
Se há no mundo perfeição? Sim não há dúvida. São vocês, Mães, e moram em nossos corações. O que nos une às mães é muito mais do que laços afectivos. É a forma da alma feminina que dia-a-dia nos encobre de carinho e afecto. Neste dia tão especial, vamos agradecer com nosso amor esta pessoa tão maravilhosa que sempre está ao nosso lado em todos os momentos.
Mesmo para aqueles em que a partida de sua mãe foi inevitável. Não se preocupem... O importante é que ela partiu definitivamente para o vosso coração.
Por que Deus permite que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento. Fosse eu Rei do Mundo, implantava uma lei: "Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino.".
Para aqueles que ainda têm suas mães aproveitem todos os minutos ao lado delas e demonstrem o quanto as amam.
MÃE...
És a mais doce e pura criatura, a dedicada esposa, mulher e protectora!
Foto da minha mãe, Maria de Lurdes. Ontem quando fui comprar os crisantemos para oferecer á minha mãe,talvez as saudades que senti, lembrou-me de homenagear as mães,todas as mães principalmente as nossas que já partiram,mas que continuam presentes dentro de cada um de nós. ( Mário Neto)TU... Que me permitiste viver e sonhar, que me amparaste e me ensinaste a caminhar!
É teu, o mérito do sucesso que se diz meu, pois, tu sabes transmitir com teu amor, sem buscar descanso, com alegria e louvor, a garra de luta e a grande vontade de vencer!
Ensinaste-me a respeitar e ser respeitado!
Ensinaste-me a ter honra e ser honrado!
Ensinaste-me a sublime arte de ser Pai!
Mãe, que palavra mais bela, pura, sensível, linda, magnífica, especial
Nome, que no mundo inteiro e nesta vida....não há igual.

Carta à Mãe (Maria de Lurdes)
Esta carta é para a minha mãe em especial mas para começar vou dedicá-la a todas as mães:
- Às Mães que apesar das canseiras, dores e trabalhos, sorriem e riem, felizes, com os filhos amados ao peito, ao colo ou em seu redor; e às que choram, doridas e inconsoláveis, a sua perda física, ou os vêem "perder-se" nos perigos inúmeros da sociedade violenta e desumana em que vivemos;
- Ás Mães ainda meninas, e às menos jovens, que contra ventos e marés, ultrapassando dificuldades de toda a ordem, têm a valentia de assumir uma gravidez -talvez inoportuna e indesejada - por saberem que a Vida é sempre um Bem Maior e um Dom que não se discute e, muito menos, quando se trata de um filho seu, pequeno ser frágil e indefeso que lhe foi confiado;
- Ás Mães que souberam sacrificar uma talvez brilhante carreira profissional, para darem prioridade à maternidade e à educação dos seus filhos e às que, quantas vezes precisamente por amor aos filhos, souberam ser firmes e educadoras, dizendo um "não" oportuno e salvador a muitos dos caprichos dos seus filhos adolescentes;
- Ás Mães precocemente envelhecidas, gastas e doentes, tantas vezes esquecidas de si mesmas e que hoje se sentem mais tristes e magoadas, talvez por não terem um filho que se lembre delas, de as abraçar e beijar...;
- Às Mães solitárias, paradas no tempo, não visitadas, não desejadas, e hoje abandonadas num qualquer quarto, num qualquer lar, na cidade ou no campo, e que talvez não tenham hoje, nem uma pessoa amiga que lhes leia ao menos uma carta dum filho...;
- Também às Mães que não tendo dado à luz fisicamente, são Mães pelo coração e pelo espírito, pela generosidade e abnegação, para tantos que por mil razões não tiveram outra Mãe...e finalmente, também às Mães queridíssimas que já partiram deste mundo e que por certo repousam já num céu merecido e conquistado a pulso e sacrifício... A todas as Mães, a todas sem excepção, um Abraço e um Beijo cheios de simpatia e de ternura! E Parabéns, mesmo que ninguém mais vos felicite! E Obrigado, mesmo que ninguém mais vos agradeça!
E agora em especial para a minha mãe com muito amor e carinho:
MÃE...
que na presença constante me ensinastes
na pureza do teu coração a vislumbrar
caminhos...
MÃE...
dos meus primeiros passos, das minhas primeiras palavras...
MÃE...
do amor sem dimensão, de cada momento,
dos actos de cada capítulo de minha vida
não ensaiados, mas vividos em cada
emoção...
MÃE...
da conversa no quintal, do acalento do meu sono aquecido de amor, aninhado no teu coração...
MAE...
do abraço, do beijo que levo na
lembrança...
MÃE...
és tu que me inspiras a caminhar...
MÃE...
a presença de cada passo que o tempo não apaga: por mais longo e escuro que seja o caminho, haverá sempre um horizonte...
MÃE...
Mulher a quem devo a vida,
que merece o meu respeito,
a minha gratidão e o meu afecto.
Descansa em paz, Mãe!
 
Mário Neto

Artigos interessantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...