20/10/2010

Descoberta

As vezes é preciso um prêmio para que todos reconheçam o talento que há muito existia. Perdoem minha ignorância mas só hoje tive  a oportunidade de conhecer este grupo, graças ao prémio que ganharam.  Resolvi partilhar. Valeu a pena. Divulguem também.
O texto abaixo foi copiado na integra do site do grupo: http://galandum.co.pt/inicio 

Vencedores da 1ª edição PRÉMIOS MEGAFONE

O património cultural do Nordeste Trasmontano, constitui um elemento muito importante da sua identidade cultural e por sua vez uma fonte de riqueza e factor de desenvolvimento. Miranda é uma região fronteiriça com Castela e Leão (Zamora, Aliste, Sanábria), regiões que comungam de uma cultura muito idêntica no que refere à música/etnografia - a cultura felizmente não tem fronteiras.
A língua própria, o “Mirandês“, a música e os seus instrumentos, as manifestações festivas, gastronomia, toda a vivência rural, e muitos outros factores, dão a Miranda e ao Nordeste Trasmontano em geral, uma cultura e identidade que merece ser estimulada, preservada e vivida.
Galandum Galundaina nos anos 90 aparece no panorama cultural e torna-se com algum relevo no representante legítimo da tradição musical /etnográfica das terras de Miranda e Nordeste Trasmontano, região onde nasceram, "mamaram" e se criaram envoltos nas mantas da tradição e costumes, que foram resistindo aos tempos.
O grupo Galandum Galundaina é composto por quatro elementos: Paulo Preto, Paulo Meirinhos, Alexandre Meirinhos e Manuel Meirinhos. Dedicam parte da sua vida a recolher, estudar e divulgar nas mais diversa formas a música tradicional da pequena região do nordeste trasmontano. Tentam dar um toque de modernidade aos seus trabalhos, não descorando os ritmos e timbres dos instrumentos e vozes. Constroem a maior parte dos seus instrumentos, modificam e transformam outros que utilizam. Desta forma conseguem sonoridades e afinações que lhe conferem um estilo muito próprio.

Os Galandum Galundaina foram os grandes vencedores da primeira edição dos Prémios Megafone.

A riqueza melódica de Senhor Galandum consegue ser mais ampla ao abrir portas a outros instrumentos e, logo, a outras músicas que assim fazem que a etiqueta do «tradicional» seja demasiado limitada para o que aqui se ouve.
          João Moço - Notícias Sábado nº231, 12 de Junho de 2010
Vale a pena ouvir, por uma vez que seja, a herança do cancioneiro mirandês por quem a sabe de ginjeira. (...) Ele há rabecas, sanfonas, gaitas de fole portuguesas e galegas, flautas tamborileiro, caixas, adufes, bombos, castanholas, pandeiretas, realejos e mais uns quantos foliões, tudo em incontrolável algazarra nume empoeirada eira mirandesa. Fosse toda a música em Portugal assim.
          Ricardo Braz Frade - Blitz, Abril de 2010
...os Galandum Galundaina são um dos mais sólidos e modernos projectos da música tradicional portuguesa, rainana, ibérica..
O terceiro disco dos Galandum Galundaina, encerra as dúvidas: estamos na presença de um tremendo grupo. (...) Arábias e Leão de mãos dadas. Obra-prima.
Uma magnífica tradução moderna da música raiana.
Música colossal portuguesa. Vêm de terras de Miranda. É mais que música portuguesa. É a futura raiz de um povo. Bordem a oiro este nome na vossa memória fixa.
         João Bonifácio - suplemento Y, Público, 15 de Abril de 2005

Artigos interessantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...