13/05/2011

Sede

 

Marco da Praça

 

Água de minha terra,
Nascente de fragas e monte,
Vida que desce a serra,
Sangue que corre da fonte.

Nasces bela no cimo do outeiro,
Entre amendoeiras, giestas, e vinha,
Dás de beber ao povo inteiro,
Deixa-me beber também, saudade minha...

Fontaela, tu levas-me de volta,
Ao lugar, de onde eu nunca saí,
A sonhar-te, meu ser se solta,
E volta de novo, onde eu nasci.

Albano Solheira

Artigos interessantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...